Atenção Siga-nos no Instagram SIGA-NOS

Camila Ya'akov

E essa série aí? Conheça “Hunters”, da Amazon

4 Mins read

Por: Camila Ya’akov

Cartaz da série Hunters, da Amazon, disponível no Prime Video. [Divulgação]

A série Hunters foi lançada no Amazon Prime Video, no dia 21 de Fevereiro e, em poucos dias, já ganhou diversos fãs e até mesmo já recebeu críticas quanto ao seu conteúdo por parte do Museu do Holocausto. Mas, afinal, do que se trata Hunters?

Sinopse

Hunters se passa na New York de 1977 e sua história começa fluir quando Jonah Heidelbaum, um jovem judeu, vê sua avó Ruth, sobrevivente do Holocausto, ser assassinada em casa. Inconformado com o descaso da polícia na investigação e cismado com o fato de que a sua avó parecia conhecer o seu assassino, Jonah decide fazer a busca por si mesmo. No caminho, Meyer Offerman, que esteve no mesmo campo de concentração que Ruth, mesmo que um pouco resistente, apresenta Jonah aos Hunters, um grupo de judeus calçadores de nazistas escondidos nos EUA, para vingar as vítimas do Holocausto.

Elenco

Al Pacino – Meyer Offerman
Logan Lerman – Jonah Heidelbaum
Lena Olin – O Coronel
Jerrika Hinton – Millie Morris
Saul Rubinek – Murray Markowitz
Carol Kane – Mindy Markowitz
Josh Radnor – Lonny Flash
Greg Austin – Travis Leich
Tiffany Boone – Roxy Jones
Louis Ozawa – Joe Mizushima
Kate Mulvany – Sister Harriet
Dylan Baker – Biff Simpson

Polêmica

Uma série onde judeus caçam nazistas e vingam as vítimas do Holocausto parece algo fantástico no imaginário popular. Qualquer pessoa minimamente decente e que tenha tido acesso a educação se opõe ao nazismo e, com a atual onda de antissemitismo que estamos em pleno século XXI, a temática da série chega até mesmo a refletir o que muitos dizem ter vontade de fazer – e não são necessariamente judeus. Porém, o pano de fundo da série é o Holocausto, um tema delicadíssimo e que precisa de um grande zelo ao ser retratado para não desonrar a memória de suas vítimas – que não foram apenas judeus, mas também homens homossexuais, negros, comunistas, opositores do governo, testemunhas de Jeová, roma, entre outros grupos. E não foi bem o que aconteceu.

Aliás, isso, esse momento de ódio crescente e esse sentimento de que caçar e espancar nazistas seja algo prazeroso, foi motivo para também criticar a série, alegando que trata judeus e nazistas como pecinhas em um jogo em uma narrativa superficial e descuidada com o Holocausto.

Uma semana após o lançamento oficial da série na plataforma de streaming, o Museu de Auschwitz teceu críticas a série e a própria Amazon. Em resumo, o Museu, responsável pela preservação do campo de extermínio na Polônia, acusou a série de imprecisão histórica. O motivo seria a cena que retrata um jogo de xadrez humano onde as peças seriam prisioneiros do Holocausto e eles deveriam matar uns aos outros cada vez que uma “peça” fosse removida do tabuleiro. Para o Museu, essa cena abre portas para negacionistas do Holocausto se manifestarem e isso desonraria a memória das vítimas.

O Museu também criticou a Amazon pela venda de livros assinados por nazistas ou com conteúdo nazista e/ou antissemita em sua plataforma, dizendo que “Quando você decide lucrar com a venda de propaganda nazista antissemita, publicada sem nenhum comentário ou contexto crítico, é preciso lembrar que essas palavras levaram não apenas ao Holocausto, mas também a muitos outros crimes de ódio” .

E o quê é real e o quê é ficção em Hunters?

  • Caçadores de nazistas
    A ideia parece meio louca, mas ao longo da história existiram caçadores de nazistas. Na década de 1970 foram identificados alguns grupos com o intuito de caçar nazistas e fazer justiça com as próprias mãos. O escrito Simon Wisenthal passou anos de sua vida buscando informações sobre homens que pareciam estar acima das leis e ajudou a colocar vários nazistas na cadeia. E, outro exemplo. seria o casal Beate e Serge Klarsfeld, que foram presos diversas vezes por agressão e ajudaram a encarcerar nazistas.
  • Nazistas acobertados pelo governo americano
    Infelizmente, outro episódio real que foi utilizado em Hunters. Dentre alguns exemplos estão Arthur Rudolph, Hubertus Strughold e Wernher von Braun (que aparece na série).
  • Experimentos e massacres
    Bem, esse ponto todos sabemos que foi real. Porém, como já citado anteriormente, a série traz situações que nunca aconteceram, como o jogo de xadrez humano. É nesse ponto onde a série mais peca.
  • Hitler vivo na Argentina
    Aqui temos umas das teorias da conspiração ais difundidas até hoje. Alguns documentos recebidos pelo FBI chegavam a apontar para isso, que Hitler teria fugido para a Argentina acompanhado de sua família e militares, mas investigações não confirmaram a teoria. Foi a partir disso que surgiu a teoria que parece na serie, de nazistas espalhados para instaurar o Quarto Reich.

Episódios

  1. Na barriga da baleia
  2. O kadish de quem fica
  3. E visões da Safta dançavam em sua mente
  4. Os ladrões piedosos
  5. à noite, todos os pássaros são negros
  6. (Ruth 1:16)
  7. Shalom piranha
  8. A questão judaica
  9. O grande churrasquinho nazista de 77
  10. Eilu v’Eilu

Nota: Optei por não colocar o resumo dos episódios. Como pode ser conferido na plataforma da Amazon, os episódios e seus resumos são organizados e descritos como se fossem um texto bíblico. Devido a superficialidade dos mesmos e a linguagem empregada, soou mais ofensivo aos textos bíblicos do que inspirados neles.

Referências

PEELE, Jordan. Hunters. Amazon, lançado em 21 de Fevereiro de 2020. Acessado em 10 de Março de 2020. Disponível em Amazon Prime Video.
CHARLISH, Alan. Museu critica Amazon por série ‘Hunters’. Publicado em 25 de Fevereiro de 2020. Acessado em 10 de Março de 2020. Disponível em Terra.
COELHO, Luciana. Com a série ‘Hunter’, Amazon reduz Holocausto a patiche pornoviolento. Publicado em 06 de Mrço de 2020. Acessado em 10 de Março de 2020. Disponível em Folha.
PALOPOLI, Ygor. Hunters: o que é real e o que não é na série da Amazon. Publicado em 07 de Março de 2020. Acessado em 10 de Março de 2020. Disponível em Adoro Cinema.

Related posts
Camila Ya'akov

A questionável opinião de um editor do UAP

8 Mins read
Há algum tempo atrás, recebi um artigo no Albany Student Press com informações duvidosas. Aqui, mostro o motivo. Compartilhe isso:TwitterFacebookCurtir isso:Curtir Carregando...
Camila Ya'akov

Página "Sempre Freud" faz publicação antissemita e nega o Holocausto

2 Mins read
O autor, que tem uma página dedicada a um judeu célebre, ainda cita Jesus Cristo, outro judeu, ao final da postagem. Compartilhe isso:TwitterFacebookCurtir isso:Curtir Carregando...
Camila Ya'akov

Belaynesh Zevadia: de refugiada a embaixadora

7 Mins read
Conheça a trajetória de um dos grandes nomes de Israel e Etiópia. Compartilhe isso:TwitterFacebookCurtir isso:Curtir Carregando...
Power your team with InHype

Add some text to explain benefits of subscripton on your services.

%d blogueiros gostam disto: