Atenção Siga-nos no Instagram SIGA-NOS

AJC GlobalCamila Ya'akovNotícias

Dr. Al-Issa, Secretário Geral da Liga Mundial Muçulmana, discursa no Fórum Global da AJC

3 Mins read

Por: AJC Global
Tradução:Camila Ya’akov | Maduah

O Dr. Mohammad Abdulkarim Al-Issa (E), secretário-geral da Liga Muçulmana Mundial e CEO da Comissão Judaica Americana (AJC), David Harris (E), fala em Auschwitz-Birkenau.

>>> QUER APRENDER HEBRAICO SEM SAIR DE CASA? CONHEÇA MADUAH CURSOS! <<<

O secretário-geral da Liga Mundial Muçulmana, Mohammad bin Abdulkarim Al-Issa, discursou na plenária de abertura do Fórum Global do Comitê Judaico Americano (AJC) de 2020, juntamente com a chanceler alemã Angela Merkel e o secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo, reafirmou seu compromisso de preservar a memória do Holocausto e promover a cooperação judaico-muçulmana.

“Eu o elogio por seu trabalho incansável e dedicação em um esforço para reconstruir relações muçulmanas-judaicas positivas”, disse Al-Issa, cuja organização global está sediada em Meca, na Arábia Saudita. “É uma prova dos fortes ideais do Comitê Judaico Americano que você se pronuncia tão fortemente contra aqueles que desejam semear divisão e proliferar a islamofobia quanto contra aqueles que promovem o anti-semitismo”.

Em abril de 2019, Al-Issa e o CEO da AJC, David Harris, assinaram um memorando histórico de entendimento para aprofundar o entendimento judaico-muçulmano e cooperar contra o racismo e o extremismo em todas as suas formas. Um elemento-chave do MOU foi uma visita conjunta a Auschwitz-Birkenau, realizada em 23 de janeiro, seguida de um dia em Varsóvia, incluindo uma visita a uma sinagoga e um jantar inter-religioso do Shabat.

Al-Issa liderou uma delegação de 62 importantes estudiosos islâmicos de 28 países. Foi a delegação mais antiga da liderança islâmica a visitar Auschwitz ou qualquer campo de extermínio alemão nazista. “Naquele dia memorável, fiquei ao lado de meus irmãos muçulmanos e judeus, unidos em determinação e dizendo: nunca mais”, disse Al-Issa. “Os horrores do Holocausto nunca devem ser repetidos ou esquecidos.”

Ele descreveu o que as delegações muçulmana e judia viam juntas em Auschwitz. “Vimos sapatos, cabelos humanos, malas e outros pertences pessoais das crianças perdidos. Vimos o quartel parecido com uma prisão, onde homens, mulheres e crianças foram forçados a viver. Vimos os restos das câmaras de gás, onde pobres almas foram despidas e mortas. Vimos as instalações médicas, onde médicos nazistas realizavam experimentos profanos ”, disse ele.

“A evidência inegável das atrocidades cometidas contra homens inocentes, mulheres e crianças abalou a todos nós”, disse ele. “Eu pessoalmente chorei com o mero pensamento de crimes tão horríveis”, disse Al-Issa. “Mais de um milhão de homens, mulheres e crianças perderam a vida em Auschwitz, e isso é algo que não podemos deixar de esquecer.”

Com uma nota positiva, Al-Issa observou que os nazistas “subestimaram drasticamente a força e a vontade eterna de seus inimigos, aquelas almas corajosas que muitos de nós contam como família, amigos e entes queridos. Os nazistas também não conseguiram entender que, mesmo na penumbra das luzes, ainda havia um lampejo de esperança. ”

As lições do Holocausto são universais, disse ele, e devem ser aplicadas ao confronto de extremistas que atacaram violentamente e continuam a ameaçar cristãos, judeus, muçulmanos e outros. “Assim como as forças do bem estavam lado a lado contra o mal nos campos de batalha da Europa há tantos anos, agora devemos nos unir contra aqueles que hoje promovem o ódio e a intolerância.”

Com esse objetivo, Al-Issa expressou otimismo de que “estamos lentamente vencendo a guerra”, mesmo que “o ódio pareça proliferar com maior facilidade do que nunca via mídias sociais”.

Muçulmanos, judeus e pessoas de outras religiões “estão defendendo valores comuns e educando suas diversas comunidades sobre tais pontos em comum. Juntos, estamos lutando para criar um mundo melhor e mais igualitário, no qual não haja lugar para anti-semitismo, islamofobia ou qualquer outra forma de preconceito. ”

O CEO da AJC, David Harris, comentou: “É uma grande honra para o Comitê Judaico Americano hospedar nosso amigo e parceiro, Dr. Al-Issa, hoje. Ele é um dos líderes muçulmanos mais importantes e respeitados do mundo, e sua organização tem um profundo impacto mundial. Na AJC, que tem um longo e orgulhoso histórico de pioneira inter-religiosa, dissemos repetidamente que estamos determinados a ajudar a escrever um capítulo promissor do século XXI nas relações entre muçulmanos e judeus. O poderoso discurso do Dr. Al-Issa hoje nos oferece outro bom motivo para otimismo e inspiração. ”

O texto completo do discurso do Dr. Al-Issa, o Discurso Judaico-Muçulmano Anual da Família Siegler, está disponível em português em Maduah.

Você pode ler o texto original, em inglês, em AJC Global.

>>> APOIE O MADUAH <<<

Related posts
BlogsCamila Ya'akovMúsica da Semana

Playlist para ortodoxo dançar

1 Mins read
Pois ortodoxos também celebram, não é mesmo? Compartilhe isso:TwitterFacebookCurtir isso:Curtir Carregando...
AntissemitismoEUANotícias

Manifestantes em Washington cantam 'Israel, nós sabemos que você também mata crianças'

2 Mins read
A manifestação de quarta-feira foi anunciada como um evento de apoio ao Dia da Raiva convocado pela Autoridade Palestina e outros grupos para protestar contra o plano anunciado por Israel de anexar até 30% da Cisjordânia em ou após 1º de julho. Compartilhe isso:TwitterFacebookCurtir isso:Curtir Carregando...
EuropaNotícias

Protesto pró-Israel na Finlândia contesta protestos anti-Israel

1 Mins read
O protesto pró-Israel foi organizado em 30 horas e teve mais que o dobro da participação no outro protesto. Compartilhe isso:TwitterFacebookCurtir isso:Curtir Carregando...
Power your team with InHype

Add some text to explain benefits of subscripton on your services.

%d blogueiros gostam disto: