Ataque mortal no Capitólio dos EUA, suspeito é um ativista do movimento Nacionalista Negro

O suspeito do ataque mortal de sexta-feira contra o Capitólio dos EUA era um seguidor do movimento Nacionalista Negro do Islã liderado pelo ministro anti-semita Louis Farrakhan, de acordo com relatos da mídia americana.

VEJA O NOSSO CURSO DE HEBRAICO:

O suspeito foi identificado como Noah Green, um jovem de 25 anos de Indiana. Ele bateu um sedan azul em uma barreira no complexo do Capitólio, então saiu do veículo com uma faca e investiu contra os policiais que atiraram nele. Um policial foi morto no ataque, outro ficou ferido e o agressor morreu em um hospital.

Green postou discursos e artigos de Farrakhan e Elijah Muhammad, o ex-líder da organização, em sua página do Facebook. A conta foi retirada do ar na sexta-feira, informou o The New York Times.

Os posts da Nação do Islã discutiram o declínio dos EUA, incluindo um discurso de Farrakhan que Green compartilhou em 17 de março chamado “A Destruição Divina da América”. No mesmo dia, ele postou uma foto mostrando que havia feito uma doação a um capítulo da Nação do Islã na Virgínia. Green também postou nas redes sociais sobre o “fim dos tempos” e o anticristo.

Ele disse em uma postagem no mês passado que estava lutando durante a pandemia e convidou seus amigos a se juntarem a ele no estudo dos ensinamentos da Nação do Islã.

Em uma postagem recente no Facebook, Green falou de vários problemas pessoais, dizendo que estava desempregado e havia sido “julgado em alguns dos maiores e inimagináveis testes da minha vida”. Green disse que Farrakhan e sua fé o haviam conduzido.

“Para ser honesto, os últimos anos foram difíceis, e os últimos meses foram mais difíceis”, escreveu ele. “Eu sofri várias invasões em casa, intoxicações alimentares, agressões, operações não autorizadas no hospital, controle da mente.”

“Minha fé é uma das únicas coisas que tem sido capaz de me sustentar por esses tempos e minha fé está centrada na crença do Honorável Ministro Louis Farrakhan como Jesus, o Messias, o último lembrete divino em nosso meio”, disse ele .

A CNN noticiou que Green havia dito que recentemente perdeu o emprego e teve problemas médicos.

Uma conta do Instagram que parecia pertencer a Green compartilhou vídeos do Farrakhan menos de duas horas antes do ataque.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: